Clínica Daia Venturieri - Todos os direitos reservados - 2018

  • Clínica Daia Venturieri

A importância de ir em uma clínica ginecológica regularmente


As mulheres, historicamente, cuidam mais da saúde, mas, muitas não vão à clínica ginecológica com a frequência necessária. Pensando nisso, trouxemos 7 razões para ir ao ginecologista regularmente para você nunca ficar sem cuidar da sua saúde.

1. Orientações sobre higiene íntima

Ao ir à clínica de ginecologia regularmente, a mulher aprende a como fazer a higiene íntima corretamente. Nas visitas, a mulher sabe que a higienização se limita a área externa do genital, que deve ser feita somente com água e sabonete neutro e usando as mãos.

2. Prevenção do câncer de mama

O câncer de mama é um dos que mais atingem as mulheres. Por isso, o acompanhamento com o ginecologista é fundamental para a descoberta precoce e sucesso no tratamento. Além do exame físico, o médico solicita mamografia e, se julgar preciso, outros exames para confirmar ou afastar suspeita desse câncer.

3. Descobrir causas de irregularidades na menstruação

Fluxo menstrual intenso, ciclo irregular e cólicas demasiadamente intensas podem ter várias explicações. Fazer o acompanhamento regularmente na clínica ginecológica, o médico pedirá exames para descobrir se a causa é uma alteração nos ovários, problema na tireoide, ou até mesmo, desnutrição.

4. Prevenção do câncer de colo de útero

O câncer de útero é outro tipo de câncer bastante comum entre as mulheres. No acompanhamento ginecológico, o médico sempre pede o papanicolau, exame que consiste em recolher material do colo uterino.

5. Verificar a necessidade ou não de reposição hormonal

A reposição hormonal é associada apenas à menopausa. Mas, na visita a uma clínica de ginecologia a mulher descobre que pode ter problemas hormonais mesmo não estando nesse período e que precisará fazer o tratamento de reposição hormonal.

6. Tirar dúvidas sobre sexualidade

Dor na relação sexual não é normal, podendo ser de ordem física ou psicológica. A mulher com esse problema precisa informá-lo ao seu ginecologista para investigar a origem dele. Se não for nada físico, o médico poderá indicar que a paciente faça terapia.

7. Escolher o anticoncepcional mais adequado

Nem toda mulher pode tomar pílula anticoncepcional. Nem toda mulher pode usar DIU. Por isso, a mulher com vida sexual ativa tem no acompanhamento realizado em sua clínica ginecológica com seu médico de confiança a oportunidade de conhecer os prós e contras de cada método anticoncepcional.


29 visualizações